Nosso Primeiro Estado

Nosso Primeiro Estado

Tendo ouvido intencionalmente o ministro, Jim começou a examinar sua vida. A fala de intimidade com Deus tocou um nervo que revelou sua necessidade mais profunda. Durante a sessão de perguntas e respostas, Jim não poderia permanecer em silêncio. Ficando de pé, ele explicou que muitos anos antes ele havia dado sua vida para Jesus. Ele disse: “Eu fiz tudo que eu deveria fazer. Eu fui para a igreja, fui fiel na leitura bíblica e na oração e nas ofertas financeiras para a minha igreja. Mesmo assim, eu raramente experimentei intimidade com Deus. Eu tenho sentido muito mais uma distância relacional ao invés de uma conexão relacional com Deus.”

Descendo da plataforma, o ministro caminhou para o fundo da sala e ficou face a face com Jim para fazer uma pergunta inesperada. Ele disse: “Se seus pais te dessem uma camiseta com uma estampa descrevendo como eles se sentiam sobre você, o que essa estampa diria?”

Ao pensar sobre isso, lágrimas brotaram nos olhos de Jim e começaram a rolar em seu rosto. Ele confessou discretamente: “A camiseta diria: ‘Você é um filho ilegítimo’.” “Jim, você está disposto a deixar Jesus ter a sua camiseta?”

Jim abraçou o ministro e falou em alta voz: “Sim!” Ao chorar amargamente nos braços do ministro, ele começou sua jornada de cura pela transformação de sua identidade. Naquele exato momento, ele ganhou consciência de ser um filho amado de Deus ao invés de estar aprisionado como vítima de sua dor. A declaração de que “foi para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gálatas 5:1) tornou-se uma viva experiência para Jim.

Discipulado fiel exige atenção à uma série de disciplinas. Temos que estudar a Bíblia para a fé descansar no sólido fundamento da Palavra de Deus. Temos que dar atenção à uma teologia saudável para permanecermos fieis à crença cristã ortodoxa. E o mais importante, temos que nos entregar inteiramente ao trabalhar do Espírito Santo, permitindo que Ele nos transforme à semelhança de Cristo através de um relacionamento pessoal com Deus.

Ser conhecido de Deus provavelmente envolverá consciência de nossa experiência sentida com Deus, moldada pela mapeamento relacional e emocional do ser, que nos informa sobre a nossa visão de mundo. Permitir Deus nesses espaços é necessário para que possamos experimentar Deus como Ele é, revelado em e através de Cristo e não visto através de nossas vidas quebradas.

João Wesley disse: “Recuperar o nosso primeiro estado, daquele do qual nós caímos, é o que é necessário agora – trocar de volta a imagem de satanás pela imagem de Deus, a escravidão pela liberdade, a doença pela saúde . . . O trabalho que temos que fazer é retornar dos portões da morte para solidez perfeita; para ter as nossas enfermidades curadas, nossas feridas saradas e nossa impureza eliminada”.[1]

Há uma estampa na sua camiseta que está te definindo no seu quebrantamento? Ou é o amor não escondido do Cristo ressurreto a fundação de sua identidade e valor?

John Comstock é líder do The Discipleship Place através do Ministério de Escola Dominical e Discipulado Internacional.

Holiness Today, Março/Abril de 2021

 

1. “The One Needful Thing" in Jeremy Ayers, "John Wesley's Therapeutic Understanding of Salvation," Encounter 63, no. 3 (2002): 273.

Public

Similar news

Dez, 05, 2022
Nov, 10, 2022